Fique por dentro da transformação digital no setor alimentício

Tempo de leitura: 6 minutos

As inovações da era tecnológica estão chegando a todos os segmentos do comércio e da indústria. Tanto é assim que a transformação digital no setor alimentício vem ganhando cada vez mais força e popularidade.

Em um cenário de engajamento tecnológico, novos hábitos do consumidor e de competitividade entre as empresas, a modernização dos processos de gestão no setor de alimentos torna-se uma necessidade latente.

A parceria entre tecnologia e alimentos é uma grande aposta para os próximos anos como forma de melhorar a experiência do cliente e alavancar mais resultados positivos para as empresas. Pensando nisso, neste artigo abordamos os principais aspectos da transformação digital no setor alimentício. Confira!

O que envolve a transformação digital no setor alimentício?

A transformação digital no setor alimentício surge com a implementação de novas tecnologias.

O intuito é simplificar os processos e otimizar o trabalho. Nesse sentido, ela segue esse princípio, uma vez que busca aprimorar a experiência do consumidor e economizar o tempo dos clientes.

Podemos trazer, como exemplos de tecnologias que representam essa transformação e que são muito úteis nesse processo, a adoção de novas máquinas, a Internet das Coisas (IoT), a Inteligência Artificial (AI) e o uso de softwares de gestão, entre outros.

Esses mecanismos automatizados são elementos cruciais para inserir a empresa e os consumidores nessa nova realidade.

Quais são as novas ferramentas utilizadas nesse meio?

Atualmente, é possível utilizar a tecnologia associada à alimentação por meio de uma variedade de recursos, como:

  • aplicativos que ajudam a preparar o pedido;
  • sites e redes sociais que disponibilizam receitas;
  • eletrodomésticos inteligentes que permitem o preparo fácil das refeições.

Outro exemplo muito famoso é a instalação de terminais de autoatendimento eletrônico em grandes lojas de fast-food.

Desse modo, o cliente pode visualizar o menu virtual facilmente, fazer o pedido e realizar o pagamento na própria máquina — mudança que facilita e simplifica a vida dos consumidores — tanto que há aumento nas vendas em lojas que oferecem esse tipo de serviço.

Pequenos e médios estabelecimentos também têm buscado se adequar à nova realidade por meio da transformação digital.

Muitos deles, como restaurantes, pubs e baladas, já utilizam sistemas digitais que disponibilizam o cardápio com comidas e bebidas em um aplicativo que permite realizar o pedido. Trata-se de uma modalidade de takeout — o cliente pede, paga e retira o produto facilmente.

Como o mercado está se comportando diante dessa transformação?

O mercado tem se mostrado aberto e bem receptivo às novas mudanças. Até porque os hábitos dos consumidores também vão mudando. Nesse sentido, havia uma necessidade de modernização e de se aderir ao mundo digital como uma forma estratégica de proporcionar experiências positivas aos clientes.

Trata-se de uma forma de otimizar o serviço e diminuir o tempo, além de contribuir para a redução de custos operacionais e da mão de obra. E mais: as empresas dedicadas ao setor alimentício precisam de tecnologias que ofereçam qualidade durante todas as etapas do processo industrial.

Como a internet tem influenciado isso?

A internet tem sido um instrumento muito útil para implementar e agilizar a transformação digital no setor alimentício.

Um grande exemplo é o uso de aplicativos especializados no tema alimentação, que dão dicas nutricionais e ajudam a cuidar da alimentação com o objetivo de manter uma dieta saudável.

Porém, a transformação digital vai além. A inovação tecnológica permitiu a criação de aplicativos que possibilitam ao cliente pedir a comida online e receber o pedido pronto em seu domicílio — um exemplo muito famoso é o IFood.

Além disso, é possível buscar conhecimento na internet. Nela, você pode aprender receitas em sites e blogs para deixar as refeições mais gostosas, seguir nutricionistas nas redes sociais e acompanhar as postagens sobre as características dos nutrientes e como adotar uma alimentação mais equilibrada. 

Quais são os desafios encontrados?

A transformação digital consiste em uma mudança na maneira como os negócios são feitos.

Nesse sentido, o grande desafio para as empresas tem sido acompanhar o desenvolvimento dessa tecnologia, que ganha cada vez mais força nas operações do setor alimentício, e aplicá-las de forma efetiva nos negócios. 

Desse modo, a tecnologia, como um meio disruptivo, precisa assegurar que as demandas operacionais serão satisfeitas em um tempo menor e com a dimensão adequada.

Confira a seguir os principais desafios encontrados no mundo corporativo e que têm grandes chances de serem encarados por meio da transformação digital.

Segurança alimentar e rastreabilidade

A rastreabilidade dos alimentos monitora aquele item desde a sua fase inicial de matéria-prima até a produção final, que é quando o produto é disponibilizado nos supermercados. Além disso, a segurança alimentar precisa ser garantida.

Isso pode ser feito por meio de sensores ou código de barras, que ajudam a rastrear o lote de fabricação dos alimentos e controlar suas fases.

Nesse sentido, existem órgãos especiais que avaliam a qualidade e a confiabilidade desses procedimentos — Ministério da Saúde e o Sistema de Gestão da Segurança de Alimentos, por exemplo.

Automatização dos processos industriais e administrativos

A adoção de um sistema de gestão permite integrar as fases de produção e administrativa e possibilita à empresa uma série de vantagens:

  • adoção de um sistema inteligente embasado no ideal de Indústria 4.0;
  • gerenciamento de demanda por período;
  • análise ágil e proativa de dados;
  • processos automatizados;
  • disponibilização de informações em tempo real;
  • uso de tecnologias digitais — mobile, nuvem e IoT, por exemplo.

Quais são os impactos positivos causados pela transformação digital?

Os primeiros impactos são sentidos rapidamente pelos clientes. Esse público está cada vez mais empoderado e atualizado sobre as novidades do mercado. Eles pesquisam na internet e reúnem informações necessárias do produto antes mesmo de ir até a loja.

Por sua vez, os vendedores precisam ter um treinamento adequado para lidar com esse novo tipo de consumidor, mais bem informado e decidido sobre a compra.

Do mesmo modo, as empresas têm a capacidade de reunir informações valiosas sobre o perfil dos clientes por meio do CRM, graças às tecnologias como big data e redes sociais.

Dessa forma, é possível reunir insights e elaborar relatórios importantes para estudar o cenário do mercado e as preferências dos consumidores, o que permite otimizar esforços, obter melhor desempenho e potencializar os resultados.

A transformação digital no setor alimentício é um movimento positivo que proporciona muitos benefícios e resultados excelentes para a empresa e para os consumidores. Contudo, além de estudar os métodos, é essencial que o gestor adote um planejamento adequado e consiga alinhar a tecnologia com os objetivos do negócio e a tendência de produção.

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert