Tudo o que você precisa saber sobre controle de produção

Tempo de leitura: 3 minutos

Em uma cadeia produtiva, uma das partes do processo tem a capacidade de arruinar todo o esforço e o resultado final da iniciativa. Um excelente cereal matinal, por exemplo, pode ficar encalhado na prateleira de supermercado se a embalagem não for capaz de transmitir a qualidade do produto. Ou um xampu bem-feito poderá não ter saída porque foi produzido em escala superior à demanda do mercado.

Insumos ideais, maquinário competente e boa vontade de quem trabalha, infelizmente, podem ser desperdiçados sem planejamento. Qualquer erro quando se fala em controle de produção significa, em curto ou longo prazo, prejuízo e oportunidades perdidas.

Daí deriva a importância das técnicas de controle de produção. Para responder a essa necessidade, muitas empresas têm adotado o chamado PCP, ou Planejamento e Controle da Produção.

Integrado aos sistemas de controle de estoque, vendas, compras, engenharia, recursos humanos e demais departamentos da empresa, ele garante o uso de materiais acertados na quantidade necessária para produzir os itens desejados, dentro do prazo e na escala correta para atender ao mercado e manter o ritmo produtivo adequado à empresa.

Um PCP bem estruturado se dividirá entre as seguintes etapas: programação, roteiro, aprazamento, liberação e controle. Entenda melhor cada uma delas neste post:

Programação

A programação é a fase inicial do controle de produção. Diante dos pedidos dos clientes e baseado ainda em informações de mercado, o gerente ou o diretor responsável definirá a quantidade e tipos de produtos a serem produzidos.

Roteiro

É nesse momento que se definirá quem executará cada tarefa, usando que tipo de maquinário, em que espaço. Note que o conhecimento dos recursos humanos disponíveis e até mesmo da planta do prédio onde está instalada a empresa é fundamental para um bom planejamento.

Aprazamento

É a definição do tempo de execução da produção, o período ideal para o início do processo produtivo e para o seu final. O PCP perfeito para as suas necessidades dependerá do tipo de empresa que você gerencia ou administra.

Uma empresa de modo de produção contínuo e, portanto, rígido nos métodos e resultados, demandará um tipo de plano. Uma companhia de produtividade é intermitente demandará readequação contínua do processo de produção, de acordo com a dinâmica do mercado.

O PCP ajudará o administrador a traçar metas de longo, médio e curto prazo, diminuindo os riscos da empreitada e trazendo previsibilidade ao processo.

Liberação

É a fase operacional que irá garantir que tudo está no lugar certo para que se inicie a produção. Compra de matéria-prima, local para estoque, número de funcionários adequado, maquinário com a manutenção em dia, dão o suporte necessário para que a produção, uma vez iniciada, não seja interrompida.

Controle

Com a produção a pleno vapor, esta é a fase de observar se tudo funciona conforme o planejado. A ferramenta adequada permitirá ao administrador ou gerente identificar falhas no processo de produção.

Mais do que seguir um roteiro, o PCP permite acompanhar passo a passo as diferentes áreas da empresa, verificar se os resultados esperados foram alcançados e entender o que está saindo errado. Dessa forma, o processo decisório se torna mais técnico e seguro.

Pense por um momento se, com as ferramentas que possui na sua empresa hoje, você é capaz de dar às seguintes perguntas respostas seguras:

  • O que produzir?

  • Quanto produzir?

  • Como produzir?

  • Quando produzir?

  • Para quem produzir?

Se a resposta for negativa, você definitivamente precisa considerar a adoção ou a mudança de seu PCP.

Compartilhe conosco a sua experiência com controle de produção e nos conte se essas dicas realmente te inspiraram a aprimorar o planejamento de produção da sua empresa.

Também elaboramos um eBook com as melhores dicas e boas práticas para você tirar do papel os planos de ter uma verdadeira equipe de trabalho! Confira no link abaixo:

http://pages.rdstation.com.br/e-book-tudo-que-a-sua-empresa-precisa-aprender-sobre-trabalho-em-equipe