Impressão de embalagens: conheça os diferentes tipos

Tempo de leitura: 6 minutos

Uma das características primordiais no progresso de um projeto gráfico é o conhecimento sobre a impressão de embalagem. Conhecer a diferença entre os métodos, bem como suas limitações e abrangências, é essencial para alcançar resultados satisfatórios.

Sendo assim, você sabe como acontece a impressão de embalagem dos seus produtos? Existem diversas formas de tornar realidade a embalagem perfeita para vender mais e conquistar os consumidores.

Para negociar com seus fornecedores e conseguir o menor preço com a maior qualidade, um gerente de compras deve conhecer o mínimo de cada técnica. Neste post, veja quais são esses diferentes tipos e em que casos são mais utilizados.

Offset

Refere-se ao recurso de impressão de embalagem mais utilizado na área gráfica. O offset é a técnica mais usada para impressão em larga escala no mundo. Nesse processo, uma grande impressora com vários cilindros passa a tinta para uma chapa metálica que, em seguida, é prensada contra o papel, resultando na impressão final.

Devido à sua capacidade, o offset se torna uma opção com custo-benefício muito baixo em grandes tiragens, mas não aceita nenhum tipo de superfície. É usado, principalmente, para rótulos e embalagens cartonadas, sendo uma ótima opção para cartões de visita, folders, livros e cartazes, já que trabalha com folhas soltas.

Vale também para jornais e revistas, pelo fato de serem materiais que exigem altas tiragens e, além disso, realiza impressões utilizando mais de quatro cores.

O offset é ideal para imprimir muita quantidade. A impressão é rápida e eficiente, o resultado é de boa qualidade e é possível fazer uso de diversos tipos de gramatura de papel plástico.

Impressão digital

Essa impressão é realizada diretamente no material, utilizando como matriz um arquivo digitalizado — por exemplo, um arquivo em PDF —, sem a intermediação de chapas. Assim, ocorre o processo eletrônico, a laser.

A impressão digital pode ser utilizada nos mesmos materiais do offset, mas é direcionada, principalmente, para impressões de tiragem reduzida. Dentre suas diversas vantagens estão o tempo reduzido para a execução, as provas de impressão com custo barato e não necessidade de reparar as cores, visto que as impressões são muito parecidas, sem variação no lote.

Por outro lado, a impressão digital tende a perder para o offset na qualidade final e no custo-benefício de médias e grandes tiragens, no entanto isso não impossibilita seu uso e sua procura no mercado.

Flexografia

A flexografia foi estigmatizada no passado como uma opção de baixa qualidade, se comparada com outras opções, mas os avanços na tecnologia acabaram com esse preconceito.

Ao contrário dos processos anteriores, a flexografia usa uma chapa flexível de fotopolímero, uma espécie de borracha sensível à luz. Tendo essa versatilidade, ela é ideal para imprimir em superfícies não planas.

Cabe destacar que a flexografia abarca uma técnica de impressão rotativa, de relevo e tinta de secagem rápida. O seu funcionamento recorda o de um carimbo, ou seja, as partes em relevo contém a imagem, enquanto o restante, por se encontrar na parte inferior do relevo, não contém tinta e, assim, não imprime. Desse modo, a tinta vai da matriz para o suporte sem interrupção.

Com a flexografia, é possível executar a impressão em copos de papel, sacolas, sacos, embalagens metálicas e plásticas, acetatos, etiquetas, rótulos e qualquer tipo de embalagem que seja flexível.

Tampografia

A tampografia é um processo bem antigo de impressão de embalagens que vem sendo resgatado pela indústria para um ganho de qualidade em situações específicas.

A impressão tampográfica é associada a pequenas áreas de superfícies irregulares, realizando impressão indireta em baixo-relevo. Nesse caso, a tinta é transferida da chapa para a superfície por meio de um tampão de silicone, que se molda para produzir uma imagem de qualidade, em embalagens côncavas ou convexas.

A máquina para tampografia imprime em qualquer objeto, inclusive em superfícies irregulares, devendo apenas mudar o dispositivo que é utilizado para apoiar a peça e certificar que ela não se mexa no momento da impressão.

Vale salientar que são obtidos excelentes resultados de aderência nos diversos tipos de materiais, como plástico, vidro, borracha, superfície pintada, madeira, metal, tecido, porcelana, couro e outros.

Serigrafia

Também chamada de silk-screen, a serigrafia é um processo que transmite a tinta para a superfície por meio de uma tela de seda ou náilon. A preparação a partir da permeabilização fotossensível define a área a ser impressa, delimitando as áreas onde a tinta atravessará a trama quando for aplicada pressão com um puxador.

Essa técnica é usada quase exclusivamente para a impressão em tecidos, por ser uma opção mais barata e prática, porém de menor qualidade ao se usar esse material como embalagem.

Diversos materiais fazem uso da serigrafia: tecidos, adesivos, canetas, chaveiros, materiais de sinalização, vidro, rótulos de CD, papel de parede, PVC e outros. Um dos seus grandes benefícios é a diversificação de materiais que podem ser impressos, pois realiza impressões em itens variados, com espessura e tamanhos variados.

Hot-stamp

O hot-stamp não é um tipo de impressão em si, mas vale conhecer por ser uma técnica muito utilizada para dar acabamento às embalagens.

O processo lembra o de um carimbo ou as antigas impressoras tipográficas. Uma peça em alto-relevo é aquecida e pressionada contra a superfície a ser impressa, com uma camada metálica entre elas. A pressão faz com que a fita se descole apenas na área de contato e fixe no papel.

O hot-stamp consegue dar um efeito metalizado a vários materiais, como convites, guia de eventos, trabalhos acadêmicos, entre outros. Contuso, para deixar tudo isso com aspecto sofisticado, é necessário que haja uma técnica especial. Portanto, a realização do procedimento deve ser feita por quem entende do assunto, por causa dos detalhes sobre os objetos nos quais é colocado.

Geralmente, essa técnica é usada em conjunto com as outras para criar destaques e aumentar a percepção de valor do produto.

Com as informações trazidas aqui, você poderá conhecer alguns métodos de impressão que mais atendem às necessidades do cliente e da empresa. Você não precisa ser um expert em processos de impressão de embalagem — basta saber escolher um bom fornecedor. Então, agora que já sabe o básico dos principais processos, fica muito mais fácil encontrar a qualidade que você exige para o seu produto.

Gostou das informações sobre os tipos de impressão que podem ser utilizados em diversas embalagens? Quer continuar aprendendo mais sobre o assunto? Assine a nossa newsletter e receba os nossos artigos no seu e-mail.

Powered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *