Avaliação de gramatura em embalagens flexíveis

Tempo de leitura: 6 minutos

Com a busca diária por inovações e redução de custos, a escolha da embalagem é um ponto crucial para as empresas — o que aumenta cada vez mais o controle existente sobre elas.

Entre os fatores que mais influenciam essa escolha — muito úteis para o controle de qualidade em embalagens plásticas flexíveis — estão a gramatura e a espessura do material. A partir dessas informações é possível determinar que tipo de material é mais apropriado para satisfazer as necessidades dos produtos que serão embalados.

Com o conhecimento desses valores, fica mais fácil avaliar características como o desempenho do material no embalamento, suas propriedades mecânicas e também o rendimento das bobinas e seus respectivos custos.

Dessa forma, ao aumentar a gramatura de um material, é possível obter melhores características de resistência mecânica e barreira a gases. Analogamente, ao reduzi-la o custo cai e o rendimento da bobina é aumentado — isso, claro, caso o produto a ser envasado suporte essa redução e não demande tanta resistência.

Em outras palavras, a avaliação de gramatura em embalagens flexíveis representa mais segurança para o processo. Além disso, a produtividade é mantida e há garantia de rendimento do material. Quer entender melhor como avaliar esses aspectos?

Acompanhe o post a seguir e saiba quais fatores devem ser considerados nesse processo. Boa leitura!

Como é feita a avaliação de gramatura em embalagens flexíveis?

Para avaliar qual é a gramatura mais adequada para as embalagens flexíveis, é importante considerar o rendimento e a alteração das propriedades estruturais durante o processo. Um dos atributos que mais afeta essa análise é a dificuldade de operação.

Afinal, filmes mais espessos requerem uma temperatura maior no momento da selagem, ao passo que os mais finos podem queimar se ela for mantida alta. É preciso lembrar, ainda, que a gramatura de filmes plásticos é definida como a massa de uma determinada área do material e é expressa — normalmente, em gramas por metro quadrado (g/m²).

Ela pode ser determinada tanto em filmes monocamada quanto em opções multicamada — nesse caso, é obtida a gramatura total e, para ter os valores individuais, é necessário fazer a separação dos componentes.

Como é medida a gramatura total de uma embalagem flexível?

A determinação da gramatura total de um material requer que ele seja analisado. A medição dessa grandeza é realizada com base na diretriz D 646-96 da Sociedade Americana de Testes e Materiais (American Society for Testing and Materials — ASTM).

Para isso, são necessários uma balança analítica (de preferência com quatro casas decimais), um estilete e os corpos de prova (na medida de 10x10cm = 100cm²). O corte dos corpos de prova pode ser feito com o estilete e o auxílio de um gabarito de 10×10cm como referência.

Depois, é preciso pesar a amostra para obter seu peso em gramas e, em seguida, transformar esse valor para chegar à sua gramatura. Por exemplo, um corpo de prova de 10x10cm que pesa 0,1842g tem gramatura de 18,42g/m² (o peso obtido multiplicado por 100).

Locais com e sem tinta na embalagem podem ter impacto nas medições de gramatura. Por isso, para ter um valor mais próximo do real, é importante que sejam medidos três pontos longitudinais do filme e, em seguida, feita a média desses valores de modo a reproduzir a gramatura.

Filmes laminados

Para determinar a gramatura de filmes laminados é preciso ter em mente que os polímeros utilizados são, muitas vezes, de famílias diferentes. Eles podem ser, por exemplo, politereftalato de etileno (PET), polietileno (PE), polipropileno (PP) — o que implica densidades diferentes de um material para o outro.

Portanto, é preciso ter cuidado ao transformar a espessura final de um filme laminado em gramas. Pode haver, nesse processo, um engano em razão da alta densidade do PET ou da baixa densidade do PE.

Se for necessário fazer a avaliação da gramatura de cada um dos elementos de uma estrutura multicamada, o método é o mesmo. Antes disso, porém, é necessário fazer a separação das camadas com solvente apropriado, bem como a secagem e a pesagem de cada elemento individualmente.

Espessura do material

A espessura é definida como a distância perpendicular entre duas superfícies de um material e é medida em micras. São vários os métodos que permitem determiná-la, mas um dos mais simples e utilizados se dá com o uso de um micrômetro — que permite aferir as dimensões lineares de um objeto.

Esse aparelho não garante, entretanto, precisão nos resultados, que podem ser mascarados por variações pontuais nos filmes (microndulações, planicidade do adesivo, gel e outras). Normalmente, então, é utilizado como orientação, pois por meio da espessura e da densidade do material é possível determinar a gramatura.

No caso de filmes multicamadas, que usam diferentes materiais, o micrômetro é ainda menos confiável — especialmente para o cálculo de custo. Afinal, uma vez que as densidades dos materiais são diferentes, a medida da espessura total é influenciada.

O que é e como determinar a temperatura do mordente?

No universo das embalagens, mordentes são os acessórios usados para fazer seu fechamento. Assim, para que sejam lacradas, as embalagens são colocadas em máquinas que usam esse dispositivo para mantê-las em posição enquanto o processo é realizado.

É comum que o mordente seja personalizado e feito sob medida para cada empresa, de forma a obter a melhor produtividade e eficiência. Para que o fechamento ocorra, é necessário que a temperatura do mordente seja ajustada para cada caso. Vale lembrar que uma selagem perfeita é essencial para garantir a segurança do produto embalado.

O valor ideal depende de uma série de variáveis. De modo genérico, filmes mais espessos podem requerer uma temperatura mais alta para evitar que a solda (o fechamento da embalagem em si) fique aberta. Se forem mais finos, a temperatura deve ser menor para que a solda não acabe queimada.

Em outras palavras, a gramatura da embalagem flexível influencia a temperatura que deve ser aplicada ao mordente no momento da selagem. Por esse motivo, ao determinar a temperatura do mordente para lacrar a embalagem, a gramatura deve ser considerada, pois mudanças podem afetar a produtividade.

Assim, digamos que um determinado produto tenha duas embalagens com gramaturas bem diferentes. Para que o processo de fechamento funcione de forma adequada, a temperatura do mordente deve ser alterada conforme a necessidade.

Em suma, a avaliação de gramatura em embalagens flexíveis afeta diretamente a segurança tanto das embalagens quanto dos produtos. Além disso, ela é essencial para os processos de produção e transporte, já que influencia as operações de logística até a chegada ao consumidor.

Depois de aprender a importância da gramatura em embalagens flexíveis, continue conosco e baixe o e-book sobre exportação na indústria de consumo. Boa leitura!

ebook_09_rodape