Avaliação de gramatura em embalagens flexíveis

Tempo de leitura: 3 minutos

Com a busca diária por inovações e reduções de custos, a escolha da embalagem acaba sendo um ponto crucial para as empresas que a utilizam, aumentando cada vez mais o controle das mesmas.

Um dos fatores que influência e é muito útil para o controle de qualidade em embalagens plásticas flexíveis é a gramatura e espessura do material. Através destas análises é possível determinar que tipo de material é mais apropriado a ser utilizado para satisfazer as necessidades dos produtos a serem embalados. Com o conhecimento destes valores, características como o desempenho do material no embalamento, propriedades mecânicas, e também, rendimento das bobinas e custos, podem ser avaliados.

Diante disso, ao aumentar a gramatura de um determinado material, pode-se obter melhores características de resistência mecânica e barreira a gases. Já ao contrário, ao reduzir a gramatura, consequentemente reduz o custo e aumenta o rendimento da bobina, desde que, o produto a ser envasado, seja suportado por tal redução, não necessitando outras características de resistência.

Outro fator que é influenciável pela gramatura, é a temperatura de mordente. Quando se determina a temperatura do mordente para a selagem da embalagem, a mudança de gramatura pode afetar na produtividade. Digamos em um determinado material, se há duas embalagens com gramaturas bem diferentes, a temperatura de mordente será diferente e deverá ser alterada.

Desta forma, a gramatura de filmes plásticos é definida como a massa de uma determinada área do material, sendo expressa normalmente em gramas por metro quadrado (g/m²). Ela pode ser determinada tanto em filme monocamada, como também, em multicamadas, obtendo a gramatura total. Para se ter a gramatura individual, é necessária a separação dos componentes.

Como medir a gramatura total de uma embalagem flexível?

Esta análise é bem simples, e apenas é necessário balança analítica, estilete, e os corpos de prova de 100 cm².

O corte dos corpos de provas pode ser auxiliado utilizando um gabarito 10×10 cm e um estilete. Assim, posteriormente, a amostra é pesada em balança analítica de preferência com 4 casas decimais, resultando no valor em gramas da amostra. Ex: 1 corpo de prova (10x10cm) foi pesado e observado o peso na balança o valor de 0,1842 g. Assim, 0,1842 g em 100cm² ( 0,1842 x 100), transformado, teremos 18,42 g/m².

Caso se fizer necessário conhecer a gramatura individual de uma estrutura multicamadas, o método é o mesmo, porém é necessário fazer a separação das camadas com solvente apropriado, secar e pesar cada camada individualmente .

A espessura é definida com a distância perpendicular entre duas superfícies de um material, é medida em micras. Há vários métodos para determinar a espessura, sendo que um dos mais simples e mais utilizados são os micrômetros. Porém estes, não garantem uma precisão nos resultados, pois podem ser mascarados por variações pontuais nos filmes (microndulações, planicidade do adesivo, gel…), sendo assim utilizados mais como orientação, já que através da espessura e densidade do material, consegue-se fazer a conversão para gramatura.

Além disso, para filmes multicamadas, com diferentes materiais, acaba não sendo tão confiável para o cálculo de custo, uma vez que, devido a densidade dos materiais serem diferentes, acaba influenciando na medida da espessura total.  

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *