4 estratégias de Inbound Marketing para o setor de alimentos

6 minutos para ler

Você sabe como utilizar o Inbound Marketing para o setor de alimentos? Essa estratégia muda a relação de uma marca com seus clientes, gerando valor com um custo relativamente baixo e atraindo a atenção de possíveis consumidores. Isso é o oposto do que acontece no marketing tradicional, que costuma buscar formas de se adaptar à vida de seu público-alvo, indo ativamente atrás dele.

Se você possui uma marca alimentícia ou restaurante, pode gerar desejo ao apresentar um conteúdo relevante e bastante visual. Para tanto, basta seguir algumas estratégias que já se provaram eficientes.

Então, conheça algumas delas a seguir, junto à definição de Inbound Marketing e sua relevância para o mercado. Acompanhe!

O que é Inbound Marketing?

De forma resumida, o Inbound Marketing tem o conteúdo como grande foco. Ele abre espaço para uma comunicação aberta. Com isso, há uma verdadeira troca com seu público-alvo, visando entender e resolver suas dores e necessidades, por meio de conteúdos relevantes para sanar dúvidas ou dar dicas, abrindo um espaço para discussão.

Consequentemente, cria-se um relacionamento duradouro com possíveis consumidores, o que abre caminho para futuras vendas e fidelização. Além disso, por permitir uma troca, empresas que trabalham o Inbound Marketing costumam deparar-se com taxas de engajamento maiores.

Nos últimos tempos, a forma como consumimos informação mudou. Aos poucos, trocou-se TV, jornais e revistas pela Internet. Interrupções, como intervalos comerciais, não são bem aceitas e, inclusive, paga-se para evitá-las.

Daí a importância de se adaptar à oportunidade de conquistar novos clientes pela atração, fazendo com que eles queiram acompanhar o que você posta. 

Quais as principais estratégias de Inbound Marketing para o setor de alimentos?

O setor de alimentos pode se beneficiar, e muito, do Inbound Marketing, desde que as estratégias sejam implementadas corretamente. Portanto, confira as principais delas a seguir e, sempre que possível, adapte-as à sua realidade. 

1. Conheça a persona

A principal dica para o sucesso do Inbound Marketing para o setor de alimentos é conhecer a persona de sua marca. Esse é um perfil semificcional criado para que você possa entender melhor quem é o seu cliente e, consequentemente, do que ele precisa.

Em sua construção, considere dados reais sobre o comportamento de seus consumidores, assim como informações demográficas, além de objetivos, motivações, desafios e preocupações.

Essas informações serão muito importantes para guiá-lo no planejamento de conteúdo. Por exemplo, um público que se interessa por uma vida mais saudável, dificilmente consumirá o mesmo conteúdo de quem busca uma comfort food para se animar no intervalo do trabalho ou após um dia estressante.

Além disso, a persona é a base para definir outras coisas, como o tom de voz adotado por sua marca e estilo de conteúdo.

Portanto, reúna o máximo de informações que conseguir. Uma boa forma de fazer isso é por meio de entrevistas ou pesquisas com clientes reais. Você pode utilizar seu mailing, por exemplo, para disparar um formulário.

2. Defina quais canais serão utilizados

Um erro comum na hora de trabalhar o marketing de conteúdo é acreditar que se precisa estar presente em todas as redes sociais. Ao entender sua persona e as possibilidades de criação, torna-se mais fácil definir quais canais trabalhar. Assim, os esforços ficam focados e trazem resultados mais efetivos.

Portanto, pesquise as preferências de seus consumidores. O setor de alimentos é bastante visual, o que abre espaço principalmente para canais, como YouTube e Instagram. Em alguns casos, até mesmo para o Pinterest, focado em um público mais jovem.

Considere, ainda, canais como e-mail marketing e blog. Como o Inbound Marketing permite mudanças de estratégia em meio à campanha, é importante acompanhar todos os resultados e perceber de onde vem o maior fluxo de usuários.

3. Fomente o bom relacionamento com os clientes

É provável que o primeiro contato de seu público com um conteúdo seja por meio da busca orgânica, ou seja, de sites como o Google. Mas, feito isso, deve-se nutrir esse relacionamento. Incentive o leitor a assinar a newsletter para enviar comunicações periódicas e descontos.

Outro ponto de contato é utilizar hashtags em redes sociais, a fim de atingir potenciais clientes. Assim, eles identificam seu negócio por uma característica que tenham em comum. Quem oferece opções veganas ou vegetarianas, por exemplo, pode evidenciar isso ao utilizar #vegan ou #vegetariano.

Por fim, você pode planejar ações para incentivar conteúdos gerados pelos próprios usuários. Se você vende alimentos, considere abrir um espaço em seu blog ou uma hashtag própria para que eles postem receitas e fotos.

Quem fez isso muito bem foi a Camil, com o lançamento de seu biscoito de arroz. Para mostrar a versatilidade do produto, incentivou o público a dividir fotos com acompanhamentos e as formas preferidas de consumo. Posteriormente, criou um álbum na própria página de Facebook para compartilhar o conteúdo gerado.

Dessa forma, além de engajar os consumidores, provou que seu lançamento atendia tanto àqueles que preferem salgados quanto os que não abrem mão de um docinho na hora do snack.

4. Mensure seus resultados

Como mencionado, o Inbound Marketing permite mudanças mesmo durante uma campanha. Por isso, é essencial mensurar os resultados de suas estratégias.

Uma grande vantagem do Inbound é o controle de ações. Dá para saber exatamente quantas pessoas abriram um e-mail, clicaram em um link ou chegaram em sua página por meio de uma pesquisa — é possível descobrir, inclusive, o que procuraram.

Existem várias métricas que você pode adotar para avaliar os resultados de seu trabalho, mas uma das mais importantes é o ROI (retorno sobre investimento). Essa conta é bem simples:

ROI = faturamentos – investimentos / investimentos.

Ele pode ser aplicado para as ações de Inbound Marketing como um todo, para um único conteúdo, ou mesmo, para determinado canal (somente e-mail marketing, Facebook etc.).

Outras métricas importantes incluem a taxa de conversão (ou seja, quantos leads ou vendas efetivamente foram consolidados), custo por visitante ou custo por lead (CPL).

Hoje em dia, com as vantagens citadas, é difícil não considerar o Inbound Marketing para o setor de alimentos. Seu grande poder de atração online, assim como o custo-benefício favorável, prova-se de grande serventia para empresas de todos os tamanhos.

PMEs, principalmente, são privilegiadas por essa estratégia. Afinal, com um investimento relativamente baixo, é possível trabalhar públicos segmentados e alavancar as vendas.

E você, utiliza o Inbound Marketing em seu negócio? Ainda tem alguma dúvida sobre o assunto? Então, deixe um comentário abaixo para dividir sua opinião e trocar experiências!​

Powered by Rock Convert
Você também pode gostar
-