Embalagens de vidro x plástica: em que situações escolher cada uma?

Tempo de leitura: 3 minutos

Pensar na embalagem é um passo essencial para todo projeto de produto: é ela a responsável por proteger, facilitar o transporte e servir como atrativo estético ao consumidor, tornando necessário que sejam bonitas, duráveis e maleáveis.

Descubra em nosso artigo de hoje as vantagens de embalagens de vidro e de plástico de acordo com as demandas de cada produto!

Origem dos materiais

Antes de compreender as vantagens e desvantagens de cada material, é prudente compreender de onde eles vêm. O vidro é composto por uma mistura de areia e soda cáustica aquecidas, com eventuais aditivos para coloração. Já os variados tipos de plásticos possuem diferentes composições, todas tendo como base derivados de petróleo.

Embalagens plásticas

Como dito acima, existem vários tipos de plástico disponíveis no mercado, mas a variedade mais comum, especialmente em embalagens, é o PET. As vantagens do plástico começam por sua praticidade: podem ser moldados em inúmeras formas e durezas, a partir de um material relativamente abundante.

Além disso, seu processo de produção barato e a leveza das embalagens criadas a partir dele o fazem o material perfeito para produtos descartáveis, como copos e talheres para festas, recipientes para alimentos de consumo rápido e uma enorme variedade de sacos e sacolas. Alguns plásticos podem ser reciclados, embora a prática do reúso, especialmente de garrafas PET e sacolas de mercado, seja mais comum.

As grandes desvantagens do material são a permeabilidade a odores e umidade, o que o torna perigoso para o armazenamento de longo prazo de alimentos, e o gigantesco impacto ambiental que o acompanha.

A exploração de combustível fóssil e o volume de plástico descartado nos oceanos faz dele uma ameaça real à vida animal e humana, com inúmeros casos de asfixia já registrados em animais marinhos.

Embalagens de vidro

Os motivos que tornam o plástico menos recomendável são os mesmos que trazem o vidro de volta aos holofotes: em termos de impacto ambiental, trata-se de um material bem menos danoso. Sua matéria-prima, a areia, não necessita de grandes instalações para ser explorada e é renovável. Além disso, o vidro é um material 100% reciclável, podendo ser fundido e remoldado até trinta vezes.

Quanto à conservação, o vidro tem a vantagem de ser impermeável: odores e umidade não atravessam o material, tornando-o a escolha certa para armazenamentos em longo prazo de itens perecíveis, como alimentos e bebidas.

Seus pontos fracos são a grande densidade, que torna embalagens feitas com ele relativamente pesadas e pouco práticas de carregar, aumentando gastos com transporte em grandes quantidades, e o perigo representado por cacos de vidro, cortantes e especialmente perigosos para crianças e idosos.

Na postagem de hoje apresentamos as embalagens de vidro e de plástico, explicando suas origens e materiais, os pontos fortes e fracos de cada um, os usos para os quais são mais recomendados e o impacto ambiental que representam. Com estas informações em mãos, será mais fácil escolher o material que será parte de sua próxima embalagem!

Gostou do conteúdo? Ainda tem alguma dúvida sobre qual material escolher? Entre em contato com a Sulprint e veja as soluções que oferecemos aos clientes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *