Design thinking: saiba como criar embalagens inspiradoras

Tempo de leitura: 3 minutos

Desenvolver uma embalagem adequada para seu produto é um passo crucial para o sucesso do projeto como um todo, mas nem sempre há tempo ou orçamento disponível para um planejamento tradicional, abrindo espaço para o uso do design thinking como ferramenta projetual.

Neste post, saiba mais sobre este método e como usá-lo para criar embalagens diferenciadas!

O que é design thinking?

O design thinking é uma abordagem de projeto orientada a solucionar os problemas do cliente de forma efetiva e ágil, por meio da elaboração de um produto que atenda plenamente às suas necessidades.

Em vez de contratar apenas designers para elaborar um projeto tradicional, no design thinking toda a equipe é reunida para identificar o problema, criar e testar soluções que sejam viáveis e inovadoras, trazendo experiências e ideias de várias disciplinas do conhecimento.

Usando o design thinking para criar embalagens

Implementar esta abordagem no desenvolvimento de embalagens é relativamente simples. Em primeiro lugar, deve-se considerar o público-alvo do seu produto: são consumidores que estariam dispostos a pagar mais por um envase diferenciado? Quais são suas preferências e valores morais?

Uma tendência do mercado atual é o foco na sustentabilidade dos produtos. Neste contexto, os plásticos têm voltado a ganhar força, com processos de reciclagem mais baratos e mais amigáveis com o meio ambiente, superando a antiga imagem de vilão que carregaram por muito tempo.

Embalagens que quebram padrões

Experimentar novas ideias de cores, formatos e materiais para rótulos e embalagem é outra das vantagens que o design thinking oferece, e pode trazer uma vantagem no posicionamento de marca, especialmente entre o público-alvo de alto poder aquisitivo.

O conceito Squeeze and Fresh, criado pela agência Backbone Branding, usa rótulos com partes transparentes que completam a imagem de frutas quando o copo está com suco, trazendo um visual dinâmico, vivo e interessante.

Pense também na praticidade e na experiência de usuário: sua embalagem não precisa apenas ter a função básica de proteger o produto, mas pode servir como recipiente para servi-lo, economizando pratos e evitando sujeira extra.

Foi assim que o designer Yinan Wang pensou ao criar o conceito Toss, de embalagens para fatias de pizza com uma pega de papelão já adaptada para o consumo.

A estética como estratégia

Se até aqui demonstramos usos práticos e interativos de embalagens, é justo lembrar que a estética pura também tem força na criação de uma embalagem especial, seja na forma de materiais diferenciados, como embalagens metalizadas, uso de verniz com brilho ou fosco e cortes especiais.

Assim são pensados os pacotes de grãos do conceito Family Farm: feitos de juta, trazem aos consumidores mais antigos a memória afetiva de comprar cereais a granel, ao mesmo tempo que apresentam uma tipografia moderna e atrativa para o consumidor jovem!

Neste artigo, vimos como podemos usar a abordagem do design thinking para criar embalagens criativas e inovadoras, conquistando novos clientes e reposicionando seu produto no mercado. Com essas dicas, você já pode reunir sua equipe e começar a criar embalagens pensando “fora da caixa”. Use e abuse da criatividade!

Gostou do post? Fique atualizado com as informações mais recentes da Sulprint seguindo-nos nas redes sociais!