Como se certificar que sua embalagem plástica é confiável

Tempo de leitura: 1 minuto

As embalagens plásticas estão bem presentes em nosso dia-a-dia, seja para embalar alface, biscoito, massa, iogurte, etc, ou seja, uma quantidade enorme de alimentos que consumimos tendo diversas origens.

Estas origens devem ser confiáveis para que possamos ter uma segurança alimentar. Mas, e a embalagem? Também deve ser confiável?

Produzidas a partir de resinas das plantas petroquímicas, transformadas em diversos convertedores onde são somadas a adesivos de alta performance, tintas outros aditivos, as embalagens plásticas também devem possuir algo que lhes confira confiança.

A ANVISA publicou em várias resoluções (RDCs), normas que ditam o atendimento da segurança alimentar nas embalagens. Estas resoluções visam garantir que diferentes produtores de embalagens cumpram estes requisitos para produzir embalagens que não comprometam a saúde e integridade do consumidor.

Cabe ao produtor ou convertedor de embalagem plástica que tem contato direto com o alimento garantir o pleno atendimento destas normas pleno atendimento destas normas é a confiança para gerar segurança alimentar

Para melhor entendimento do assunto, listo abaixo as RDCs:

Resolução RDC nº 17, de 17 de março de 2008Dispõe sobre Regulamento Técnico sobre Lista Positiva de Aditivos para Materiais Plásticos destinados à Elaboração de Embalagens e Equipamentos em Contato com Alimentos.

Resolução RDC nº 51, de 26 de novembro de 2010Dispõe sobre migração em materiais, embalagens e equipamentos plásticos destinados a entrar em contato com alimentos.

Resolução RDC nº 52, de 26 de novembro de 2010Dispõe sobre corantes em embalagens e equipamentos plásticos destinados a estar em contato com alimentos.

Resolução RDC nº 56 , de 16 de novembro de 2012Dispõe sobre a lista positiva de monômeros, outras substâncias iniciadoras e polímeros autorizados para a elaboração de embalagens e equipamentos plásticos em contato com alimentos.