Como a produção afeta os indicadores de venda da empresa?

Tempo de leitura: 3 minutos

Em diversas organizações, os produtos são desenvolvidos para serem armazenados em estoque. Isso significa que, durante o processo de produção, já se concebe que o item será armazenado para, mais tarde, ser enviado diretamente ao cliente na conclusão do processo de fabricação.

Por sua vez, as vendas dos produtos são feitas aos clientes que esperam que suas ordens sejam cumpridas prontamente.

Se é assim, é essencial que as empresas sejam capazes de projetar a demanda para cada um de seus produtos, garantindo um estoque adequado, capaz de atender às necessidades e expectativas dos clientes.

No post de hoje, entenda como a produção afeta os indicadores de venda!

Custo de produção

Primeiramente, é necessário entender ao que correspondem os custos de produção. Esses, em síntese, dizem respeito às despesas como materiais e mão de obra, que a empresa arca durante o processo de produção dos produtos oferecidos aos consumidores.

Em geral, quanto menor for o custo de produção, maior será o lucro da empresa. Todavia, os baixos custos de produção não garantem necessariamente maiores lucros. Por exemplo, ainda que uma companhia apresente custos de produção muito baixos, se oferece um produto de ínfima aceitação, a empresa está fadada ao fracasso.

Vendas e estoque

Muitas organizações projetam a demanda pelos produtos com base em previsões inspiradas no histórico da empresa, principalmente, as organizações de manufatura.

As taxas de produção se assemelham a taxas de vendas, que são projetadas para avaliar o impacto das saídas sobre o estoque. Os níveis de estoque aumentam na medida em que a produção excede as vendas e caem se as vendas excederem a produção.

Considerando que os altos níveis de estoque afetam negativamente o fluxo de caixa e a capacidade de armazenagem, somado ao fato que as quedas acentuadas nas vendas podem fazer com que os estoques se tornem obsoletos, é fundamental equilibrar as taxas de produção e o estoque.

Estoque excessivo

Manter um estoque excessivo significa comprometer o fluxo de caixa, os preços de venda e capacidade de armazenagem que acaba por ficar cada vez mais reduzida.

Se o aumento nas vendas não se materializar conforme o previsto, ou mesmo que se materialize, mas a uma taxa menor do que a taxa de produção, o estoque excedente resultará em prejuízo ao fluxo de caixa.

Mas não só isso, o excesso de estoque pode fazer com que a empresa se veja obrigada a reduzir drasticamente os preços para incentivar a compra do inventário, evitando, assim, estocar produtos ultrapassados.

A influência do planejamento nos indicadores de venda

Em geral, o sucesso de um comércio depende da integração da previsão de vendas, do cronograma de produção e do orçamento disponível da empresa.

E a combinação do planejamento comercial — associado às operações — contribui muito para que os indicadores de vendas apresentem resultados cada vez melhores.

Assim se viabiliza com maior assertividade as previsões de vendas. Isso graças à visão tática representada no planejamento operacional e na execução, ambas monitoradas por meio do acompanhamento dos resultados financeiros.

Desse modo, vendas, produção e finanças podem atuar em conjunto, garantindo que o estoque cresça e diminua em compasso com o crescimento das vendas. E que nem overstocks ou understocks afetem negativamente o inventário.

Perceba que ainda que os processos de produção sejam decisivos para a viabilização de um negócio de sucesso, as embalagens também são capazes de fazer toda a diferença no processo de vendas e marketing. Não está convencido? Este e-book é para você! Baixe-o e tire todas as suas dúvidas sobre o assunto!