6 erros de escolha de embalagens para transporte de cargas para evitar!

Tempo de leitura: 6 minutos

As embalagens têm uma relevância imensa na comercialização. Não basta que um produto apresente boa qualidade ou exposição inteligente e atraente nas gôndolas dos pontos de vendas. Eles precisam contar com embalagens para transporte adequadas, de modo a acondicionar corretamente seu conteúdo e garantir que o produto chegue em boas condições, garantindo a qualidade da experiência do cliente final.

Ao longo deste artigo, abordaremos a importância e a utilidade das embalagens, bem como os tipos existentes e os erros mais críticos (e, infelizmente, bastante frequentes) que as empresas cometem, prejudicando o transporte de cargas. Boa leitura!

Qual a importância e a utilidade das embalagens para transporte?

No que se refere à logística de um negócio, o uso de embalagens para transporte ocupa um papel de destaque. Sua principal função é assegurar proteção para o produto durante todas as etapas de sua movimentação, do começo ao fim de sua comercialização.

É esse atributo que permitirá ao produto ser manipulado até chegar ao consumidor final, sem nenhum tipo de prejuízo, como contaminação, perdas e danos à mercadoria em si devido ao trajeto percorrido.

No decorrer de todo o processo logístico, os itens estão vulneráveis a uma variedade de intempéries, tais como quedas, impactos, choques, oxidação, perfuração, compressão, vibração, esmagamento etc. Uma embalagem dotada de boa qualidade deve eliminar ou, ao menos, evitar ao máximo todos esses riscos.

Quais são os tipos de embalagens existentes?

Há normas e leis que regulamentam a questão das embalagens, desde o material que as compõe até as informações contidas. Cada tipo de embalagem apresenta características específicas que a torna apropriada para uma especificação determinada de cada produto. Contudo, elas podem ser dividias em cinco categorias gerais:

  • primárias: são aquelas que envolvem diretamente o produto;
  • secundárias: normalmente são embalagens maiores que proporcionam proteção à embalagem primária, contendo poucas unidades do produto, assegurando sua integridade para o manuseio e transporte;
  • terciárias: também são usadas para transporte e movimentação manual, devido ao fato de comportarem uma quantidade maior de produtos;
  • quaternárias: auxiliadoras na movimentação, essa categoria abriga um contingente maior de peças. São constituídas, por exemplo, de paletes;
  • quinquenárias: são embalagens especiais, adequadas para o uso em longos trajetos.

Quanto aos diferentes tipos de embalagem, os principais incluem:

  • rótulo;
  • sleeve;
  • splash;
  • blister;
  • caixa de transporte;
  • caixas K;
  • cartucho;
  • contêineres;
  • embalagens cartonadas;
  • embalagens mistas;
  • embalagens multicamadas;
  • embalagens laminadas;
  • embalagens plásticas flexíveis;
  • embalagens reutilizáveis;
  • latas de alumínio;
  • latas de aço.

Em que consistem os 6 erros críticos na escolha das embalagens para transporte?

O transporte de cargas é um procedimento de suma relevância e repleto de detalhes, no qual inexiste margem para erros. Qualquer atraso ou falha na entrega dos produtos culmina em perdas financeiras e danos à imagem da empresa junto ao cliente.

Confira, a seguir, 6 erros críticos na escolha das embalagens para transporte:

1. Falta de preparo e qualificação da equipe

Em um empreendimento que atua com logística, a equipe de trabalho deve ser altamente qualificada e preparada. É necessário que os seus membros se envolvam em atividades de atualização dos melhores conhecimentos e práticas que fazem referência ao transporte e à manipulação de cargas.

Os gestores, por vezes, priorizam outros aspectos da cadeia de procedimentos, deixando de capacitar adequadamente o seu corpo de colaboradores. O resultado disso são erros e falhas que acarretam avarias e perdas de toda sorte.

Dessa forma, o preparo dos funcionários, em todas as fases da logística, deve ser uma prioridade absoluta de qualquer organização, com treinamentos que envolvam, sistematicamente, os conteúdos e as práticas específicas às necessidades da empresa.

2. Não utilização dos equipamentos corretos

O setor de logística passou por expressivos avanços em suas tecnologias, a partir da presença de ferramentas, máquinas e equipamentos que fazem com que o transporte de cargas seja ágil, dinâmico, seguro e veloz.

Contudo, a despeito desses progressos, continua a ocorrer muitos equívocos relacionados a esses procedimentos. Isso leva a empresa a não possuir e, consequentemente, não empregar os maquinários apropriados devido ao mau uso das ferramentas disponíveis para o transporte.

A segurança também é importante. Se, nessas operações, não há os equipamentos de segurança obrigatórios, os funcionários acabam se tornando menos produtivos e eficazes. Se os artefatos de segurança, por outro lado, são oportunamente utilizados, então, tudo flui de maneira mais positiva.

3. Seleção da logística inadequada

Escolher a embalagem conveniente à carga que será transportada é absolutamente essencial, conforme mencionado. No entanto, essa escolha deve estar integrada à alternativa de transporte contratada. O produto está sujeito, por si, a sofrer estragos durante o trajeto e, se o meio usado para o deslocar não for adequado, a carga inevitavelmente sofrerá danos.

4. Manipulação e armazenagem inapropriadas

Se não houver um cuidado apurado na manipulação e armazenagem dos produtos, eles sofrerão danos consideráveis e perdas irremediáveis, o que resulta em prejuízos consideráveis de receita.

Um armazenamento ruim, por exemplo, no caso de produtos alimentícios, pode fazer com que eles estraguem e seja necessário descartar essa porcentagem da carga.

5. Carência de planejamentos

O processo de comercialização de produtos, tanto para o mercado interno quanto para o comércio exterior, deve ser cuidadosamente planejado em seus mínimos detalhes, da etapa inicial até a final.

Essa necessidade de planejamento não se refere somente aos aspectos operacionais, mas inclui, também, a questão das vendas e outras negociações.

6. Negligência às normas e aos requisitos legais

Há uma série de normas e leis que regulamentam a escolha das embalagens, bem como o armazenamento, o manuseio e o transporte de cargas. É impreterível a observância de adequação a essas regras, pois, caso contrário, os produtos podem ser confiscados ou pode haver a necessidade de pagamento de multas.

Existem, na verdade, diferentes soluções para haver uma logística de alta qualidade. O processo de manuseio, armazenamento e transporte de cargas tem uma série de etapas, cada qual com suas estratégias. No entanto, é essencial haver a escolha de embalagens para transporte certa, pois são elas que, em primeiro lugar, assegurarão que produto chegue em bom estado ao consumidor.

E você, já teve algum problema com o transporte de cargas? Como o solucionou? Deixe um comentário no post e divida conosco sua experiência!

banner_ebook_04