4 dicas para um bom planejamento e controle de produção industrial

Tempo de leitura: 6 minutos

Implementar um bom planejamento e garantir o controle de produção adequado é primordial para qualquer empresa — principalmente aquelas que precisam administrar funcionários, equipamentos e fornecedores na lida com sistemas produtivos. Essa, por sinal, não é uma tarefa simples e exige muito conhecimento por parte dos gestores.

Mas além de contar com uma equipe especializada e eficiente é preciso ficar atento a outros fatores que impactam diretamente no processo de planejamento e controle de produção industrial.

No entanto, com algumas dicas bem práticas e atitudes inteligentes, é possível obter sucesso nesse procedimento. Quer descobrir como fazer isso? Então, confira o conteúdo a seguir e conheça 4 dicas para um bom planejamento e controle de produção industrial:

1. Conheça bem a empresa

O primeiro passo para garantir o controle de produção é conhecer muito bem a sua empresa e os produtos que você tem para oferecer ao seu público. Isso é importante não apenas para evitar desperdícios, mas, principalmente, para compreender todas as demandas e necessidades do seu negócio.

Com um total domínio da organização, os gestores podem dimensionar melhor os processos produtivos e também terão um conhecimento mais profundo dos recursos, expedientes e soluções necessárias, tanto no nível material quanto humano, para que tudo funcione perfeitamente.

Mas como conseguir “desvendar” a empresa? Existem algumas formas de conseguir isso, entre elas estão:

  • análise de histórico: a forma como a empresa se comporta em relação a clientes ou períodos geralmente segue um padrão. Logo, ao analisar os períodos sazonais e as demandas de cada cliente você terá uma boa base de conhecimento, que será extremamente útil para o controle da produção;

  • realizar mapeamento dos processos: essa ação permite que você crie fluxogramas de cada atividade e visualize todas as matérias-primas utilizadas na produção. Esse processo facilita a identificação de possíveis gargalos e possibilita agir de forma antecipada, evitando problemas.

2. Elabore um roteiro

Depois de conhecer a fundo a empresa e os processos que envolvem a fabricação dos produtos, o gestor pode investir na elaboração de um roteiro de produção e planejamento. Utilize o fluxograma criado na fase anterior, que deve apresentar desde a matéria-prima até as ações necessárias para chegar à mercadoria final.

É nesse momento que a gerência definirá quem executará qual tarefa, o tipo de maquinário utilizado, qual será o espaço reservado para cada atividade, entre outras disposições. Note que o conhecimento apropriado dos recursos humanos disponíveis e até mesmo da planta do imóvel onde está instalada a organização é fundamental para uma boa roteirização.

Crie um grupo de trabalho multifuncional para realizar todas as análises e otimizar o fluxo. Devem estar presentes o gerente de PCP, analistas de estoque e planejamento de demanda, gerente de vendas, equipe de manutenção, operadores de máquinas e gerentes de produção e logística.

Essa equipe verificará fatores que podem limitar a produção, como a produtividade homem/hora, capacidade de armazenamento, necessidade de paradas dos equipamento para manutenção, disponibilidade de matéria-prima e se existe demanda de mercado para a produção.

Se qualquer um dos itens acima falhar, certamente a empresa terá prejuízos, que podem ser financeiros ou no atraso de pedidos, que pode manchar a imagem da empresa e dificultar futuras negociações.

3. Controle seu estoque

O estoque também deve influenciar o funcionamento e ter um bom controle de acervo ajuda muito a não cometer erros que podem gerar sérios prejuízos.

São os dados obtidos por meio desse conhecimento que definirão se você precisa fazer mais compras, acelerar a fabricação ou até mesmo reduzir o ritmo temporariamente de alguns processos. Em outras palavras, o estoque ajuda a determinar a escala de produção.

É importante determinar funcionários específicos para essa tarefa. Um bom software de gestão também não costuma custar caro e traz muito mais exatidão e rigorosidade para as decisões do gestor.

Você talvez esteja se perguntando: “e se eu tiver a minha disposição uma grande capacidade de armazenamento, será que nesse caso vale a pena manter sempre a produção a todo vapor?”.

Muito cuidado! O controle de estoque não serve apenas para que você não pare a sua produção, ou mantenha a disponibilidade de produtos. Estoque significa dinheiro parado, aumenta o custo operacional e ainda existe o risco de se tornar obsoleto ou perder valor.

O controle da produção industrial deve ter regras claras e rígidas de estoque mínimo e máximo para cada produto e matéria-prima. Crie uma classificação ABC e determine quais itens precisam de estoques menores ou maiores.

Monitore os resultados

Como dizia Edwards Deming, um dos maiores especialistas na melhoria de processos produtivos: “Não há sucesso no que não se gerencia e não se gerencia o que não se mede”.

Portanto, monitorar os resultados é outra atitude primordial para um bom planejamento e controle de produção industrial. É imprescindível que o gestor faça um acompanhamento constante para avaliar se tudo está indo como o previsto ou se é necessário realinhar as estratégias adotadas.

É possível estipular algumas métricas, que devem ser escolhidas ou criadas de acordo com a área de atuação da empresa, o público e o tipo de produto que é produzido. Esses números poderão dar respostas conclusivas à gestão, tornando possível saber se os resultados estão conduzindo o negócio a alcançar os seus objetivos.

No caso de a organização cometer erros ou experimentar algumas falhas, o monitoramento também é importante para ajudar a identificar qual a melhor forma de corrigi-las ou evitá-las.

Reuniões de resultado devem ser realizadas regularmente, onde os gestores de suas respectivas áreas devem apresentar os seus indicadores e, quando estiver abaixo do esperado, deve ser apresentado um plano de ação, utilizando metodologias como o PDCA para identificar a causa raiz e agir corretivamente na melhoria do processo.

Realizar um controle de produção eficaz é um grande desafio e exige muito empenho. Várias áreas da empresa devem estar envolvidas, é preciso conhecer a fundo a empresa, criar fluxos, controlar estoque e monitorar resultados. Mas pode ter certeza de que todo esse trabalho resultará em uma produção enxuta, maior produtividade e engajamento dos funcionários e clientes mais felizes.

Gostou do conteúdo? Então, siga o perfil da Sulprint no Facebook e fique por dentro de outros artigos como este!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *